Na periferia recifense, tem comunidade com nutricionista de plantão

A nutricionista Pánmela Patrícia, cofundadora do projeto Sargento Saúde, atendeu 25 moradores.

Estreando nesta quinta-feira (10), o projeto Nutris do Perifa foi um sucesso no Córrego do Sargento. A nutricionista Pánmela Patrícia, cofundadora do projeto Sargento Saúde, atendeu 25 moradores.

Pánmela, está cheia de planos e conta com o apoio de outros projetos do coletivo. Ela já conta que pretende criar um grupo de WhatsApp para os moradores, em parceria com o Projeto Perifa em Movimento, coordenado pelo professor Thales Paulino. O objetivo é montar um cardápio de dieta e ajudar moradores com orientações nutricionais e séries de exercícios físicos que vão ajudar as pessoas a perderem ou ganharem peso, dependendo de suas necessidades.

Os plantões acontecem quinzenalmente, das 9h às 12h, nas quintas-feiras. Para o morador Carlos André, 42, “é muito bonito ver a nossa comunidade se unindo para ajudar um ao outro. Eu fico muito feliz por ver tantos projetos fortalecendo o Córrego do Sargento e isso ser feito por moradores daqui”, afirmou.

O depoimento de Carlos, deu gás para a enfermeira Joselma Carvalho, 51, que coordena o projeto Sargento Saúde, falar do amor por sua comunidade. Para ela, visualizar o crescimento do projeto e ver que a comunidade reconhece, é gratificante. “É isso o que nós queremos: a melhoria de cada um pois sabemos o quanto é difícil passar por dificuldades financeiras e não termos uma qualidade de vida boa. Na medida que a gente atende, vamos enxergando muitos problemas, a gente só quer melhorar o que temos feito”, complementou.

Apesar do Córrego do Sargento não possuir posto de saúde, nem praça, nem área para recreação, nem creche, nem outras instituições que atendam os moradores no quesito políticas públicas, os projetos do coletivo têm buscado viabilizar parcerias com instituições da localidade. É o caso do posto de saúde de Beberibe, bairro vizinho ao da Linha do Tiro, onde fica localizada a comunidade. Dessa maneira, profissionais do posto de saúde que moram nas redondezas também realizam ações voluntárias no projeto.